Escolha sua rádio favorita
Rádio on-line!
Hospital de Mafra conta com novo procedimento para tratamento de cálculos renais
Geral | 19/01/2019 08:09 | Rio mafra mix | Fotos:

Um novo procedimento cirúrgico passou a integrar a lista de serviços oferecidos pelo Hospital São Vicente de Paulo, em Mafra: a ureterorrenolitotripsia flexível, realizada com intervenção a laser.

Essa ação consiste em um tratamento minimamente invasivo dos cálculos urinários. É uma técnica endoscópica minimamente invasiva, que permite o tratamento de cálculos que estejam localizados fora do alcance dos aparelhos semi-rígidos tradicionalmente utilizados. O ureteroscópio flexível pode atingir todos os locais do aparelho urinário através da uretra, sem que para isso seja necessário qualquer incisão na pele. Nesta técnica a fonte de energia utilizada para quebrar o cálculo urinário é o holmiun laser.

A energia do laser é gerada pela conversão de energia elétrica em energia luminosa, que atua como uma onda de choque responsável pela destruição dos cálculos. Quando acionado, o laser inicia a pulverização do cálculo sob o controle visual do cirurgião. Os fragmentos restantes podem ser retirados com pinças ou “cestas” ou quando são de tamanho muito pequeno são eliminados espontaneamente na urina. A grande vantagem da tecnologia a laser é a sua capacidade de fragmentar todos os tipos de cálculos com índices de sucesso que chegam próximos a 98,5%.

A diferença entre a ureterolitotripsia rígida e a flexível é que a primeira permite a visualização e manipulação de cálculos apenas em linha reta, e é utilizada principalmente para as pedras localizadas próximas a bexiga. Já a ureterolitotripsia flexível permite a eliminação dos cálculos localizados no interior do rim.

A ureterolitotripsia flexível a holmiun laser permite tratar múltiplos cálculos renais na mesma cirurgia com a vantagem de retorno rápido às atividades diárias.

Para o médico responsável pelo procedimento, Carlos Santin, esse procedimento representa mais segurança e bem-estar para a comunidade de Mafra e região. O médico também reforçou que trata-se de um método para resolver com a mínima invasão possíveis casos de cálculo renal.

De acordo com a explicação do profissional, esses cálculos renais obstrutivos e infecciosos, são corrigidos dentro do rim, antes mesmo de obstruir o canal e acarretar em problemas. É um processo praticamente sem invasividade, sem corte, tudo feito pelo canal da urina. O doutor Carlos ainda comentou que a alta ao paciente é realizada no mesmo dia, e ele pode retornar às atividades laborais com menos tempo do que em outro tipo de procedimento.
 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
Publicidade
Rua José Gonçalves, 333 - Lucena - Itaiópolis - Santa Catarina - 89340-000 - 89340-000 - Fone/Fax: 3652.2279 - E-mail: comercial@cidade1380.am.br
Rádio 107.9 FM, Todos os Direitos Reservados.