Escolha sua rádio favorita
Rádio on-line!
Lixo descartado ilegalmente na 280 causa transtornos ao DNIT e ICMBio
Geral | 12/07/2019 08:09 | FNTB/ICMBio/MMA | Fotos:

Lixo descartado às margens da BR 280, próximo a Flona/ICMBio

Nesta quinta feira, 11, foram recolhidos das margens da BR 280 cerca de 500 quilos de lixo 

Sujando a cidade e o entorno, quem despeja lixo ou entulho em via pública, além de demonstrar falta de educação, comete crimes previstos no Código de Trânsito Brasileiro e no artigo 54 da Lei 9.605/98, Lei de Crimes Ambientais, que aplica pena de reclusão de um a cinco anos e multa. 

O lixo descartado ilegalmente nas margens da BR 280 entre os Km 227 e 230 (rio Canoinhas e rio Dos Pardos) no trecho que corta a Floresta Nacional de Três Barras continua causando transtornos ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) e ao ICMBio, órgão responsável pela gestão da Unidade de Conservação Federal. 

Nesta quinta feira, 11, foram recolhidos das margens da BR 280 pelos analistas ambientais da Flona/ICMBio Carlos Ribeiro e Fábio Frederico, cerca de 500 quilos de lixo. 

Para o DNIT, a grande quantidade de lixo e entulho prejudica as atividades de roçadas e limpeza da faixa de domínio da rodovia, aumentando os custos de manutenção da mesma e ainda incorre em riscos diversos para os usuários da BR 280. 

Para o ICMBio, além do enorme trabalho de limpeza a ser feito por equipe reduzida de servidores, o lixo é motivo de apreensão em função da atração de vetores de doenças, ratos e insetos, animais diversos, inclusive silvestres, aumentando também o risco de atropelamento de fauna e até de acidentes com os veículos que por ali transitam. 

Para o chefe da Floresta Nacional, analista ambiental Carlos Ribeiro, “vergonhoso e difícil de acreditar que em cidades como Canoinhas e Três Barras que possuem coleta de lixo regular e empresas especializadas em recolhimento de entulho, tenhamos esta prática criminosa de se jogar lixo e entulho ao longo da rodovia e o que é pior no interior de uma Unidade de Conservação”, lamentou. 

“O cidadão que for flagrado depositando lixo ao longo da BR 280 no trecho supracitado será enquadrado na Lei nº 9.605/98 de Crimes Ambientais e no Decreto nº 6.514/08 por causar dano direto à Unidade de Conservação Federal, que preveem multa, apreensão do veículo utilizado no transporte do lixo e até detenção do infrator. O mesmo responderá ainda a dois processos, um administrativo no ICMBio e outro criminal na Justiça Federal” frisou Ribeiro. 

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO DE RESÍDUOS 

Papel: 3 a 6 meses

Jornal: 6 meses

Palito de madeira: 6 meses

Ponta de cigarro: 20 meses

Nylon: mais de 30 anos

Chicletes: 5 anos

Pedaços de pano: 6 meses a 1 ano

Fralda descartável biodegradável: 1 ano

Fralda descartável comum: 450 anos

Copos de plástico: 50 anos

Lata de aço: 10 anos

Tampas de garrafa: 150 anos

Isopor: 8 anos

Plástico: 100 anos

Garrafa plástica: 400 anos

Pneus: 600 anos

Vidro: 4.000 anos 

 

Fonte e foto: FNTB/ICMBio/MMA

 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
Publicidade
Rua José Gonçalves, 333 - Lucena - Itaiópolis - Santa Catarina - 89340-000 - 89340-000 - Fone/Fax: 3652.2279 - E-mail: comercial@cidade1380.am.br
Rádio 107.9 FM, Todos os Direitos Reservados.